OBJETIVO do PROJETO

Este projeto de ensino, pesquisa e extensão tem como objetivo principal promover a capacitação sociotécnica de comunidades rurais tradicionais faxinalenses do Centro Sul paranaense com base em princípios e práticas da agroecologia. Para tanto, a criação deste NEA, coordenado pelo Grupo de Pesquisa Interconexões (UEPG), conta com o financiamento do CNPq e a colaboração de diversas entidades que se somam à ação: CASLA, COODESAFI, UEPG, IFPR-Irati, IEEP, ASAECO, Prefeitura Municipal de Imbituva, Prefeitura Municipal de Rebouças, Prefeitura Municipal de Imbaú, NEA - Juçara (UFPR-Litoral), IFPR-Paranaguá, MADE-UFPR

quinta-feira, 10 de novembro de 2022

Sementes Crioulas Reproduzidas pelo NEA Territórios Faxinalenses consolida redes de agrobiodiversidade na Região

 

No dia 16 de setembro de 2022, o NEA Territórios Faxinalenses: Núcleo de estudos e capacitação Sociotécnica de populações tradicionais em agroecologia nos territórios faxinalenses (CNPq, 403031/2017-6) participou da “18ª Feira regional de Sementes Crioulas e da Agrobiodiversidade”. A doutoranda Cleusi Bobato Stadler, integrante do Grupo de Pesquisa Interconexões (UEPG) e do Coletivo Triunfo Guardiãs de Sementes, expôs alguns resultados do seu trabalho de tese sobre sementes crioulas cultivadas nas Unidades de Referência Agroecológica do NEA Territórios Faxinalenses. no dia 23 do mesmo mês, a doutoranda também realizou a distribuição de sementes entre alunos da escola rural do Faxinal dos Galvão do município de Imbituva, Paraná.






OFICINA DE CAPACITAÇÂO EM CERTIFICAÇÃO PARTICIPATIVA: APRESENTAÇÃO DAS FUNCIONALIDADES DO SISTEMA ELETRÔNICO DO NEA

 

     No dia 25 de agosto de 2022, na sede da Associação Solidaria da Agricultura Ecológica de Ponta Grossa e Região (ASAECO), o Grupo de pesquisa Interconexões (UEPG), executor do projeto NEA Territórios Faxinalenses: Núcleo de estudos e capacitação Sociotécnica de populações tradicionais em agroecologia nos territórios faxinalenses (CNPq, 403031/2017-6), reúne-se com a presidente da ASAECO, sra. Aparecida de Fatima Machado Teixeira, o tesoureiro sr. Antonio Ostrufka para apresentar o Sistema Eletrônico de Certificação AgroecológicaParticipativa ao coletivo de agricultores da organização. A atividade tratou de mostrar o potencial da ferramenta e capacitar os futuros usuários do sistema que consiste basicamente em quatro partes: plano de manejo agroecológico, agendamento de visitas, rastreabilidade e contabilização de produtos e insumos e concessão do selo agroecológico do Nea Territórios Faxinalenses.

 









 

terça-feira, 20 de setembro de 2022

 

Grupo de Pesquisa e Extensão Interconexões (UEPG), CASLA e CNPq desenvolvem Sistema Eletrônico de Certificação Agroecológica Participativa

 O Sistema de Eletrônico de Certificação Agroecológica Participativa é resultado de o projeto "Núcleo de Estudos e Capacitação Sociotécnica em Agroecologia de Populações Tradicionais em Territórios Faxinalenses  (C403031/2017-6), financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e executado pelo Grupo de Pesquisa e extensão Interconexões: Saberes, Práticas e Políticas de Natureza, sob a coordenação do Prof. Dr. Nicolas Floriani (UEPG).


O sistema eletrônico busca promover a democratização tecnológica para o processo de certificação participativa de garantia da qualidade de produtos e processos agroecológicos e orgânicaos  e, consequentemente, a autonomia socioambiental de grupos organizados de agricultores familiares e de comunidades tradicionais em fase de transição agroecológica. O projeto faz parte do Programa Unitinerante: Universidade Itinerante pelos Direitos Humanos, da Natureza, Pela Paz e Bem Viver, coordenado pela Casa Latino-americana.


Confira o vídeo de divulgação

quinta-feira, 23 de junho de 2022

 Projeto sobre sementes crioulas tem ampla ação em Imbituva


Turmas da Escola Rural de Faxinal dos Galvão puderam correlacionar tema principal com aspectos históricos, culturais, étnicos e ambientais da sua localidade

No dia 08 de abril tivemos na Escola Rural Municipal de Faxinal dos Galvão a visita da Professora Mestre em História e Doutoranda em Geografia Cleusi T. Bobato Stadler. Ela ministrou uma aula e conversa com os alunos do 3º. e 4º. Ano, sobre a História dos FAXINAIS no Paraná e Região de Imbituva, sobre as primeiras famílias portuguesas e italianas no Faxinal dos Galvão e Bela Vista, seus costumes, modo de vida, práticas nos faxinais e agricultura local. Destacou a contribuição destes imigrantes na formação dos Sistemas de Faxinais na região, o uso das sementes crioulas, as práticas com essas sementes desde os indígenas até a geração dos avôs e pais dos alunos. Fez uma exposição das amostras de sementes e destacou o “Banco de Sementes Joaquim e Juvelina Leite” criado no NEA – Núcleo de Estudos Agroecológicos, de Antônio Silvestre Leite em parceria com o Grupo Interconexões da UEPG/PR.

Essa atividade faz parte do projeto da escola "Semeando saberes e práticas das Sementes Crioulas e das nascentes de águas”, criado e desenvolvido pela Prof. Maria Janete, que tem por objetivo analisar com os alunos, a história do Faxinal dos Galvão em Imbituva/ PR, identificando nesta comunidade saberes, práticas, memórias no cultivo das sementes que ainda permanecem na vivência das famílias, bem como a manutenção de nascentes de água como formas de conservação da agrobiodiversidade.

A professora Cleusi iniciou explicando a origem do grande Faxinal dos Galvão, Bella Vista e Ribeira, o porquê do nome da nossa comunidade, os costumes do cultivo das sementes herdados dos indígenas, a contribuição dos imigrantes bem como a identificação dos sobrenomes dos alunos relacionando-os com as etnias de origem italiana, alemã e portuguesa.

Também comentou sobre o “Sistema de Faxinais – criadouro, onde os animais eram criados soltos”, que esse costume foi trazido pelos imigrantes portugueses e espanhóis (na região Ibérica já existia essa forma de organização). Que juntamente com os costumes indígenas, caboclos, camponeses, nas práticas da agricultura, no cultivo da erva mate, na produção e armazenamento das sementes crioulas, nas práticas/chás das ervas medicinais, nas heranças culinárias (virado faxinalense, polenta, paçoca de carne de porco), devoções religiosas (Santo Antônio, N. S. do Carmo, N. S. do Rosário, Romaria do Divino), foram se formando os costumes e tradições que conhecemos hoje.

Tudo isso faz parte da nossa geo-história e nosso papel hoje é o de manter e conservar esses conhecimentos adquiridos da natureza e sua biodiversidade, bem como, preservar a agrobiodiversidade, agro-florestas, florestas nativas, raças crioulas de porcos faxinalenses. Explicou também sobre a necessidade da preservação das nascentes como uma das únicas alternativas para manter a natureza intacta e resistente, bem como a (re) existência das sementes crioulas e seus guardiões que significa luta em favor da cultura e identidade dos sujeitos, dos seus anseios, necessidades dos faxinalenses /agricultores rurais.

Encerrou a visita com a exposição das sementes crioulas coletadas com agricultores guardiões em várias “Comunidades Tradicionais Quilombolas, Faxinalenses, Caiçaras e Camponesas” de nosso estado, em seu projeto de Doutorado.

Foi um dia muito produtivo, onde houve ótima participação dos alunos, que se sentiram motivados a trabalhar nesse projeto, identificando-se como sujeitos constituintes de uma história, de vivências e práticas realizadas por seus pais e avós, os quais são de grande importância para a conservação da agrobiodiversidade e das nascentes de água de nosso município.


Alunos, Professoras das turmas e Prof. Cleusi, com o Banco de Sementes em frente a Escola. Foto do Blog da Escola. https://escolafaxinaldosgalvao.blogspot.com/2022/04/semeando-saberes-e-praticas-das.html

                                   Texto: Maria Janete F. Leite e Cleusi T. B. Stadler. 23/06/2022.


2022. Colheita de Sementes Crioulas na Propriedade de Antonio Silvestre Leite.

CASA DE SEMENTES JOAQUIM E JUVELINA LEITE - Organização e armazenamento Maria Janete Ferreira Leite. 

Plantio e Reproducão de mais de 26 VARIEDADES DE FEIJÃO com Sementes Crioulas, na propriedade NEA - Faxinal dos Galvão/Imbituva/PR. Plantio e Colheita por Antonio Silvestre Leite, em setembro de 2021 e colheita em 2022. 

Armazenamento e acondicionamento por Maria Janete Ferreira Leite, em maio e junho de 2022. 
















                                                                                                             Texto e Fotos: Cleusi T. B. Stadler. 

quarta-feira, 20 de outubro de 2021

Recebimento das SEMENTES CRIOULAS - 2021 - IMBITUVA- CASA DE SEMENTES JOAQUIM E JUVELINA LEITE. Plantio e Horta Orgânica.

        No dia 15/10/2021, o Grupo Interconexões - NEAs 2020/2021, recebeu do Projeto Emergencial de Conservação e Multiplicação da Agrobiodiversidade no Paraná, um total de 75 quilos de Sementes Crioulas, entre variedades de Feijão Vinagrinho, Feijão Carioca, Feijão Bolinha Vermelho, Feijão Olho de Pomba, Milho Cunha, Milho Carioca Amarelo, Arroz Cateto, Arroz Amarelão.

Essas Sementes estão sendo distribuídas no Estado do Paraná para Comunidades Tradicionais de base ECOLÓGICA pela RESA – Rede Sementes da Agroecologia junto ao Coletivo Triunfo. Esta entidade firmou compromisso com a agricultura familiar de base ecológica, em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT-PR), a AS-PTA (Agricultura Familiar e Agroecologia), como parte das ações do Projeto Emergencial de Conservação e Multiplicação da Agrobiodiversidade no Paraná.

O Projeto “Interconexões” da UEPG/PR, neste Projeto da RESA é representado pela Prof. Cleusi T. Bobato Stadler (Doutoranda do PPGG -Programa de Pós Graduação em Geografia, UEPG/PR), a qual desenvolve sua Pesquisa com o tema “Sementes Crioulas em Comunidades Tradicionais do Paraná”. Essas sementes em Imbituva serão replantadas e guardadas na Casa de Sementes “Joaquim e Juvelina Leite”, que se encontra na Propriedade do Sr. Antônio Silvestre Leite, no NEA Faxinal dos Galvão.

As Sementes foram transportadas da cidade de Palmeira, sede da ASPTA, pela Secretaria de Agricultura do Guamiranga na pessoa da Secretária Cristiane Tabarro, a qual agradecemos a colaboração. Foram levadas até a Casa de Sementes pelo Sr. Antônio Silvestre Leite, o qual as recebeu em Guamiranga/PR. 














Essas sementes vão ser armazenadas devidamente para serem reproduzidas no próximo plantio e também distribuídas as outras Comunidades Tradicionais Faxinalenses do Grupo Interconexões, em Ponta Grossa/Itaiacoca e em Imbaú/Pr.

No dia 17/10/2021, o Sr. Silvestre Leite e sua família trabalharam na organização e PLANTIO da HORTA ORGÂNICA em MANDALA. Foi plantado Feijão Arroz, Batata, Amendoim, Legumes, Verduras, Plantas Medicinais, Feijão Milico, Gengibre, Açafrão e Vagem. 























O trabalho de PRODUÇÃO ORGÂNICA ECOLÓGICA está se fortalecendo e assegurando a Soberania Alimentar dos Pequenos Agricultores nos Núcleos de Estudos Agroecológicos do Projeto INTERCONEXÕES. 



Por: Cleusi T. Bobato Stadler. 20/10/2021.