OBJETIVO do PROJETO

Este projeto de ensino, pesquisa e extensão tem como objetivo principal promover a capacitação sociotécnica de comunidades rurais tradicionais faxinalenses do Centro Sul paranaense com base em princípios e práticas da agroecologia. Para tanto, a criação deste NEA, coordenado pelo Grupo de Pesquisa Interconexões (UEPG), conta com o financiamento do CNPq e a colaboração de diversas entidades que se somam à ação: CASLA, COODESAFI, UEPG, IFPR-Irati, IEEP, ASAECO, Prefeitura Municipal de Imbituva, Prefeitura Municipal de Rebouças, Prefeitura Municipal de Imbaú, NEA - Juçara (UFPR-Litoral), IFPR-Paranaguá, MADE-UFPR.

terça-feira, 1 de dezembro de 2020

URs de Imbituva, Imbaú e Itaiacoca iniciam o Plantio de Mudas de ERVA-MATE NATIVA

 Plantio de 2500 Mudas de Erva-Mate NATIVA, pelos agricultores do Projeto

Nas Unidades de Referências do Projeto Interconexões foram iniciados o plantio de 2500 mudas de Erva-Mate Nativa, para recompor a Mata Nativa e constituir uma Agrofloresta, intercalando com o plantio de feijão e milho consorciado.

Na UR Faxinal dos Galvão estão sendo plantadas 900 mudas de erva-mate.

Na UR Sete Saltos de Cima 1000 mudas de erva-mate.

Na UR Imbaú, 200 mudas de erva-mate.

Na UR Cachoeirinha, 400 mudas de erva-mate. 

Essas mudas foram produzidas através de aprimoramento de SEMENTES DE ERVA NATIVA, num trabalho desenvolvido pela EPAGRI/SC e comercializadas pela Agro Forte de Mato Branco de Baixo-Imbituva/PR e seu revendedor responsável Marlon Santana. Foram adquiridas com o financiamento do Projeto.  

Fotografia 1: Entrega das mudas pela Agro Forte-Marlon Santana.

Fotografia 02: Mudas distribuídas em Sete Saltos de Cima. Ponta Grossa/PR. Sr. Antônio Ostrufk responsável pelo plantio. 


Fotografias 03,04,05,06,07: Início do Plantio em 30/11/2020 na UR Cachoeirinha. Agricultor Sr. Genésio Maiczuk. Acervo das fotos: Natan Emiliano Maiczuk. 








Fotografia 08,09,10,11,12,13: UR Imbaú. 200 mudas de erva-mate. Início do Plantio em 30/11/2020, realizado pelos componentes do Projeto. Meliponicultor Diego Betim. Acervo das fotos: Cleusi B. Stadler. 










Responsável pelo texto: Doutoranda do PPGG/UEPG - Cleusi T. Bobato Stadler.


segunda-feira, 30 de novembro de 2020

PLANTIO de SEMENTES CRIOULAS na UR FAXINAL DOS GALVÃO-IMBITUVA/PR

 DIAGNÓSTICO - Plantio de SEMENTES CRIOULAS na UR Faxinal dos Galvão-Imbituva/PR.

• A UR Faxinal dos Galvão, Estância São Joaquim, de propriedade do Sr. Antônio Silvestre Leite, localizada na zona rural do município de Imbituva/PR, na região centro-sul do Paraná, cerca de 16 km da sede do município, faz parte do Projeto Núcleo de Estudos e Capacitação Sociotécnica de Populações Tradicionais em Agroecologia nos Territórios Faxinalenses – Grupo Interconexões –
PPGG/UEPG/2020-2021.

• Área Total: 10 alqueires. Área de Produção: 6 alqueires. Área de Preservação: 4 alqueires. Área de Nascente: ½ alqueire. Atividade Principal: Bovinos de Leite.

• Início da construção de uma Mandala em OLERICULTURA, no dia 09/10/2020. Na Olericultura as mandalas são em círculos. Circulo é o sistema em equilíbrio, em evolução. A Mandala em círculo-centro de onde saem os canteiros. Nesta Mandala o centro é produção de mudas medicinais. Sr. Silvestre chamou de “Relógio da Vida”. Plantou nos canteiros da mandala, 20 espécies de feijão
diferentes de sementes crioulas. Também mudas de alface crespa, beterraba, brócolis, couve-flor, repolho, pepino, abobrinha, pimentão, batatinha, couve, alho poró, feijão de vagem, cebolinha de cabeça, azedinha, espinafre, milho boliviano, sem uso nenhum de agrotóxico, somente com adubo orgânico e palhada.


• Algumas fotografias ilustrativas desse plantio e produção das Mudas e Sementes Crioulas, adquiridas com o Projeto Interconexões. Todas as fotos são de autoria de Maria Janete Leite, Novembro de 2020.

                                           Fotografia 01: ‘Relógio da Vida”, centro da Mandala. 


                                                 Fotografia 02: Canteiro de Beterrabas


Fotografia 03: Canteiro de Feijão Mourinho



Fotografia 04: Canteiro de Abobrinhas. 



Fotografias 05-06-07: Feijão Amendoim, Feijão Andú e Feijão Branco, respectivamente.



Fotografias 08-09-10: Feijão Cavalo-branco, Feijão Carioca, Feijão Carioca Graúdo, respectivamente.




Fotografias 11-12-13: Feijão Cavalo preto, Feijão Cavalo Vermelho e Feijão Cavalo.




                      Fotografias 14-15: Feijão Chocolate, Feijão Diamante do Oeste, Feijão Olho de Pomba.




                                   Fotografias 16-17-18: Feijão Milico, Feijão Mouro, Feijão Mulato.




• SEMENTES CRIOULAS RECEBIDAS DA RESA, no dia 27/10/2020, e que foram reproduzidas nesta UR: Feijão Vermelho (Castro)- 300gr; Feijão Guará 60 dias – 100gr; Feijão Mouro(São Mateus dos Sul)- 100gr; Feijão Jaula (Rebouças) – 100gr; Feijão Esteio (Campo Comprido)- 100gr; Feijão Bola Vermelho – 100gr; Feijão Bainha Roxa – 2kg; Feijão Mouro – 2kg; Feijão Tibagi – 2kg. Milho Branco Pérola – 300gr; Milho Vitória Roxo- 300gr.


                                   Fotografias 19-20: Feijão Bainha Roxa e Feijão Bola Vermelho



                                             Fotografias 21-22: Feijão Guará, Feijão Esteio




                           Fotografias 23-24: Feijão Tibagi, Feijão Vermelho de Castro e Feijão Jaula.



Acompanhamento e Elaboração do Texto: Doutoranda Cleusi T. B. Stadler e Mestranda Tainá

Bobato Stadler.





domingo, 15 de novembro de 2020

Novos companheiros do NEA Territórios Faxinalenses - U.R. da Cachoeirinha

UNIDADE DE REFERÊNCIA AGROECOLÓGICA DA CHACHOEIRINHA, IMBITUVA-PR

PROPRIEDADE FAMÍLIA MAICZUK


A Hortifruti Maiczukinho
esta em transição de uma agricultura convencional, para uma agricultura agroecológica, onde buscamos a maior qualidade dos nossos produtos e principalmente pensando no bem estar dos nossos clientes.
Com ajuda de amigos, professores e agricultores que já estão a mais tempo trabalhando com essa metodologia da agroecologia e com o apoio da
Cooperativa Coodesafi
. Buscando preservar o solo e principalmente a natureza, começando a utilizar sementes crioulas e adubação orgânica. Começo de uma grande caminhada, com muito trabalho e responsabilidade.
                                                       
                                                        Texto e imagens por Natan E. Maiczuk
                                                                                                            





Hortifruti Maiczukinho

O selo que é utilizado na produção de morangos do Sr. Genésio, proprietário da Hortifruti Maiczukinho, mostra duas crianças que representam seus dois filhos, Natan e Breno. Facebook do Hortifruti Maiczukinho: https://www.facebook.com/hortifrutimaiczukinho.com.br/




Primeiros materiais

Primeiros materiais financiados pelo Projeto Interconexões/CNPq a chegarem a propriedade dos Maiczuk.

 


SEMENTES CRIOULAS SÃO RECEBIDAS PELO INTERCONEXÕES


30 TONELADAS de SEMENTES CRIOULAS são distribuídas no Estado do Paraná para COMUNIDADES TRADICIONAIS de base ECOLÓGICA pela RESA – Rede Sementes da Agroecologia. Esta entidade firmou compromisso com a agricultura familiar de base ecológica, em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT-PR), a AS-PTA (Agricultura Familiar e Agroecologia), como parte das ações do Projeto Emergencial de Conservação e Multiplicação da Agrobiodiversidade no Paraná.

Banner da Campanha de Distribuição doado a cada lugar que recebeu as sementes.

No dia 27 de Outubro de 2020, o Projeto Interconexões recebeu Uma Tonelada de SEMENTES CRIOULAS por intermédio da Prof. Cleusi T. Bobato Stadler (Doutoranda do PPGG -Programa de Pós Graduação em Geografia, UEPG/PR), faz parte. Estando no Projeto e desenvolvendo sua Pesquisa com o tema “Sementes Crioulas em Comunidades Tradicionais do Paraná”, a prof. Cleusi entrou no Grupo Interconexões e no Grupo “Guardiões de Sementes” da Região Centro-Sul do Paraná e Santa Catarina. Por intermédio deste grupo e devido ao fato de estar na coordenação da organização de uma Casa de Sementes Crioulas com sua pesquisa, foi conectada para a possibilidade de receber estas sementes e distribuir aos agricultores interessados, com o apoio da CODESAFI-Ivaí/Imbituva.

Das mais de 26 toneladas de grãos distribuídas a famílias agricultoras, de todo o  estado, como parte deste Projeto Emergencial, uma tonelada (1.000k) veio para o município de Imbituva. Entre as variedades que recebemos estão: milho, feijão, arroz, mandioca e batata salsa. Para garantir a qualidade e vigor das sementes, todas as variedades entregues passaram por um processo de seleção e cuidadoso preparo nas propriedades rurais. Devido ao alto risco de contaminação transgênica, causada pela polinização cruzada, foram realizados testes de transgenia em todas as mais de 25 variedades de milho distribuídas no Paraná.


terça-feira, 27 de outubro de 2020

Segundo Dia de Campo do NEA Territórios Faxinalenses: Troca de saberes e sementes na U.R.A. Sete Saltos de Cima - Itaiacoca, PG.

Foi realizado no sábado, 24 de outubro de 2020, o Segundo Dia de Campo do Núcleo de Estudos e Capacitação Sociotécnica em Agroecologia de Populações tradicionais em Territórios Faxinalenses (NEA Territórios FAxinalenses).


O encontro de troca de saberes e sementes foi realizado na Unidade de Referência Agroecológica de Antônio e Cida Ostrufka, localizado na comunidade de Sete Saltos de Cima, Distrito de Itaiacoca, no município paranaense Ponta Grossa. 


Presentes à reunião estavam os integrantes do Grupo de Pesquisa e Extensão Internconexões - Nicolas Floriani (UEPG), Cleusi Bobato Stadler (PPGG-UEPG),  Bruna Santos (PPGG-UEPG) - os agricultores agroecológicos da Cooperativa de Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Familiar de Ivaí (COODESAFI) - Antônio Silva, Genésio Walkzuki, José Eloir Scheidt, Natan E.Maizuk, Lucas Bilek, Dionei Santana, Antonio Silvestre Leite, Paulo Ricardo Leite e sua Presidente Claudia Regina dos Santos; os agricultores agroecológicos da Associação Solidária para Agroecologia de Ponta Grossa (ASAECO) - Antônio Ostrufka e Cida Ostrufka, e o engenheiro agrônomo e professor do Colégio Agrícola de Palmeira, Odair de Oliveira, e Jairo Bufoliski da Prefeitura Municipal de Imbituva.



Participantes do Dia de Campo, cujo traslado foi possibilitado com o auxílio da Prefeitura Municipal de Imbituva, parceira do Projeto.


A primeira atividade do dia consistiu em realizar uma dinâmica de grupo em torno da Cartografia Participativa do Sistema Produtivo da Unidade de Referência Agroecológica, o que permitiu ao grupo entender o histórico de produção em cada parcela, as limitações da qualidade produtiva das terras, bem como um inventário da agrobiodiversidade local, da qual destacaram-se os adubos verdes de verão e de inverno e os microorganismos eficientes do ecossistema florestal.





Em destaque, produto da fermentação dos microorganismos eficientes da terra do capoeirão da U.R. Agroecológica.




Em destaque, fermentação de substrato de arroz por microorganismos eficientes de solo do capoeirão da U.R. Agroecológica.


A segunda atividade consistiu na turnê guiada às parcelas do estabelecimento agrícola, onde foram realizadas observações das propriedades físicas, morfológicas e biológicas das terras cultivadas  conforme manejo agroecológico.





Observações dos atributos biofísicos e morfológicos das terras da UR Agroecológica de Sete Saltos de Cima - NEA Territórios Faxinalenese. Exposição do Eng. Agrônomo Odair de Oliveira



Após o almoço agroecológico, o grupo reuniu-se sob o teto do Galpão de Estudos e Treinamento em Agroecologia da U.R., onde os agricultores deram as notas aos solos observados, de acordo com os parâmetros considerados na prática anterior.



Dois assuntos importantes também foram discutidos no Galpão: a dependência às tecnologias de produção agroindustrial e a criação de circuitos alternativos de comercialização.




No que tange à questão da busca pela autonomia em relação às tecnologia e ao mercado, enfatizou-se a necessidade premente de se fortalecer parcerias em rede para trocas solidárias de sementes crioulas e de adubos verdes. 


No tocante à questão das sementes crioulas, destacou-se a parceria com a ASP-TA e Coletivo Triunfo com o NEA Territórios Faxinalenses (NEA - TF) , quando da iniciativa de doar sementes crioulas de milho, feijão e de algumas hortaliças. 


A doutoranda Cleusi Bobato Stadler (PPGEO-UEPG), pertencente à Rede de Guardiões de Sementes do referido Coletivo, enfatizou a necessidade de trocas e reprodução dessas tecnologias sociais entre os agricultores no sentido de estruturar o Banco de Sementes Crioulas da Rede criada pelos atores integrantes do NEA-TF.




Igualmente importante foi a intervenção da Presidente da COODESAFI, Claudia Regina dos Santos, que destacou a necessidade de dar publicidade ao projeto e aos seus parceiros institucionais para que juntos possam demandar de legisladores municipais e estaduais ações concretas de desenvolvimento rural ligados à promoção de políticas publicas includentes da agricultura familiar. 


A presidente da COODESAFI cita, especificamente, a questão da apropriação da lei estadual que determina a obrigatoriedade da utilização de alimentação orgânica para merenda escolar de escolas públicas do Paraná, bem como outros mecanismos de incentivo à produção orgânica a partir de políticas de subsídio à produção e comercialização.


Nesse desafio, cabe à rede de atores agroecológicos pressionar os agentes políticos locais e regionais para garantirem a inclusão de grupos de agricultores familiares em transição à agroecologia nesse conjunto de  políticas públicas, sob a pena de que estas sejam controladas pelos grandes empresários da área do agronegócio que têm se apropriado de tecnologias agroecológicas (e orgânicas) de produção para fins exclusivamente comerciais.


É uma realidade que o mercado tem se apropriado dessas tecnologias, seja produzindo insumos ou alimentos. No entanto, defendemos a ideia de que a agroecologia deve ultrapassar uma racionalidade estritamente econômica, abrindo-se às especificidades culturais, ecológicas e sociais de cada território, de onde emergem - de baixo para cima e conjuntamente com diversos atores regionais -  projetos alternativos ao desenvolvimento rural.



Para finalizar o Dia de Campo, foram expostos os equipamentos e mudas de erva-mate comprados pelo Projeto NEA Territórios Faxinalenses com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e cedidos à UR Agroecológica. 




Por Nicolas Floriani

27 de outubro de 2020


URs de Imbituva, Imbaú e Itaiacoca iniciam o Plantio de Mudas de ERVA-MATE NATIVA

  Plantio de 2500 Mudas de Erva-Mate NATIVA, pelos agricultores do Projeto Nas Unidades de Referências do Projeto Interconexões foram inicia...